segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Berlim. as fotografias ficaram expostas, a máquina pregou-me partidas, as Nikon, Canon, os flashs a disparar,são just device para ajudar a reter na memória o que a memória não retém ou porque não lhe apetece ou considera puro entulho, mas, como todo o mecanismo, olhado com confiança primitiva e sem apoio logístico, encrava. não, nem é sobre isso que quero falar, tal como o pardal também me sentei na esplanada a deitar migalhas e diferente dele imaginei que no futuro muitas cidades serão como esta, ao centro, onde foi terra de ninguém, terreno baldio entre muros, ergue-se um labirinto de vidro, equivalerá pensar se o sentimos como racionalmente vemos, segurança e força. Berlim é uma cidade racional, no que racional tem de belo, equilibrado, eficaz, funcional. Apagada a memória da divisão mais que a da guerra, ambas de qualquer modo, pequenos sinais remotos para entreter turistas, sobrevive nela uma das muitas metáforas da liberdade: capacidade de nascer, de começar de novo, desprendendo-se do passado. liberdade como capacidade efectiva de mudar, não sonho de passado, projecto de futuro. Gostei das pernas ágeis dos homens e mulheres a pedalar, da sua leveza, da velocidade dos corpos deslizando. quis ficar. alugar um quartito, começar. adorei a chuva no último dia e a simpatia, a simpatia constante. não voltarei a Berlim ou, talvez não volte, mas despedir-se sempre foi uma forma de prolongar a emoção.

11 comentários:

ss disse...

Ainda esta semana me falavam de Berlim. A opinião era similar. Agora fiquei duplamente curiosa por essa cidade, que parece surpreender as pessoas.
:)

Rosa dos Ventos disse...

Não conheço, por ti fiquei a fazer uma ideia muito positiva...que não tinha!
Manias que temos de tirarmos conclusões apressadas sem grande informação!

Abraço

Anônimo disse...

Por acaso concordo em tudo o que dizes, e também na simpatia, é uma cidade surpreendente.

g

JPD disse...

Também estive em Berlim este ano.
Achei a cidade fantástica.
Falta-me compará-la com NY e Londres.
Então terei completo um ranking de cidades.

Bjs

R. disse...

A fotografia é muito bonita. Está lá tudo: simetria, bucolismo, modernidade e ecologia. Uma síntese magnífica!

via disse...

ss; é verdade, acho que não te irá desiludir, uma boa rentrée!

rosa dos ventos:também não simpatizava com alemães mas há quem diga que os berlinenses são diferentes dos alemães em geral, mais abertos e extrovertidos.boas entradas. abraço

g: Vejo que não estou sozinha neste entusiasmo por Berlim, ainda bem!bons augúrios para o Outono que aí vem!

JPD: então quase tropeçámos um no outro! conheço Londres e prefiro Berlim para ver e passear e quiça viver. Londres tem duas coisas melhores: a língua e as livrarias.
Quanto a NY não conheço. Bons auspícios para a nova temporada!

R: e romantismo. o casal ao fundo...foi por acaso! procurei escolher a fotografia que pudesse sintetizar melhor o espírito da cidade, é isso! boas entradas no Outono que aí vem.

R. disse...

... estação dilecta. 'A luz que a pouco e pouco desfalece, / Que lança em mim a bênção dum afago... / Outono dos crepúsculos doirados, / De púrpuras, damascos e brocados...' (F. Espanca)

:) Bom fim-de-semana!

uminuto disse...

não conheço, mas esta descrição deixou-me uma vontade de entrar na vida dessa cidade
um beijo

mixtu disse...

berlim...
abriu-me o apetite, nunca foi uma cidade a visitar... mas...

abrazo serrano

via disse...

R: Florbela e o Outono, minh'alma se inclina...

um minuto: recomendo...

mixtu:é uma cidade, a visitar...

ana disse...

Adorei Berlim. foi uma verdadeira surpresa.
A partir da minha estadia, por uns dias, em 2000, o meu respeito pelos alemães cresceu. Berlim renascida vibra e mexe connosco.