quinta-feira, 5 de abril de 2012

lamentações de um blogue abandonado seguido de elocuções sobre o Fingimento

Corro o risco de ficar sem leitores.


Help! A culpa é do Facebook que "Abarbata" tudo!! Monopólio dos contactos virtuais!!A mim leitores!! Campanha de angariação de leitores/comentadores em processamento intenso...estratégias a adoptar, etc etc. O mais certo é o blogue, ao fim de um tempo, não sei bem quanto, não ter novidade, ser mais do mesmo, ora nós queremos ser surpreendidos e cativados. Não vou dissertar sobre isto que não me apetece.Também não gostaria de ficar sem leitores/comentadores, mas se assim for, vou dedicar-me à arte de fiar em outras rocas.
Bom, deixemo-nos de lamentações e vamos ao teatro.
Fingimento e verdade: Há verdade no fingimento? Será o teatro verdadeiro apesar de ser um fingimento? Não são o mesmo? Não consideramos verdadeiro o que é falso? Pura aparência que esconde o ser? O estranho deste novo trabalho da Cornucópia, não são as considerações filosóficas sobre a Verdade e a Mentira, mas uma espécie de ambiguidade estrutural provocada pela desmontagem de um texto de Lope de Vega que é, ele próprio, um jogo de espelhos sobre Teatro e Realidade Vivida. Trata-se de três verdades: a do actor, da personagem e da pessoa que lhe deu vida: S. Gens. Quem é o verdadeiro? O que verdadeiramente se passou? Que relata o teatro? Estas três camadas de realidade/verdade sobrepôem-se, jogando entre si, trocando referências, ao ponto de nos confundir. Resta saber se nos confundimos porque não queremos aceitar o óbvio: não há verdade nenhuma, são tudo fingimentos com intenções verdadeiras. Ou se, de facto, a nossa condição é mesmo essa: a de viver procurando sempre uma verdade à qual não podemos aceder senão por um acto tresloucado de fé. A fé não deixa de ser , e essa é a ambiguidade, uma última e convicta decisão por uma ilusão, um fingimento que não se reconhece enquanto tal.


A ver.

12 comentários:

Ana Paula Sena disse...

Eu leio-te! E gosto! :))

Bjs. Boa Páscoa!

P.S. - tens toda a razão no que dizes.

Joao Raposo disse...

Calma, calma, posso não passar por cá todos os dias, mas passo.
Não é que as minhas visitas sejam importantes, mas...

R. disse...

Como se nota, não te faltam leitores. Podem é ser do tipo discreto :) Mais: há muito quem fique a perder por não te ler. Isso sim.

A verdade e o fingimento... Pois. Assunto difícil e virtualmente irresolúvel. Tenho para mim que o problema começa nos antípodas da coisa: o conceito de verdade é, em si mesmo, a tentativa de balizar o subjectivo e o dúbio. Há factos, é certo: elementos concretos da realidade que nos rodeia. Mas a vivência subjectiva dos acontecimentos impede a existência de uma verdade absoluta. Por isso, procurar a verdade poderá constituir um exercício esgotante e infrutífero; mas tentar captar a "verdade" do outro por contraponto com a nossa resulta, por vezes, bastante produtivo (e nem sempre mais fácil)...
(Enfim, devaneios em resposta às tuas sempre estimulantes provocações. Devaneios apenas, porque aqui quem sabe filosofar és tu!)
Uma ultima nota: é interessante a tua formulação acerca da fé. Pessoalmente, vejo-a de forma diferente. Tratando-se de uma crença que eventualmente não pode ser demonstrada, quem pode negar a (in)existência de tal "verdade"?

Beijinho!

PS: Por opção, não tenho perfil no facebook e por isso imagino que a pergunta seja idiota, mas aqui fica na mesma: já lá tens um link para este teu (maravilhoso) espaço? Não se perdia nada... ;)

cs disse...

eu passo e leio :)

CCF disse...

Imagina eu que por opção não tenho FB. Às vezes sinto que já nem faço parte deste mundo...
Não ligues muito aos comentários, sei que sabem bem, mas mais importante que é eles é o nosso gosto por pensar, por escrever.
~CC~

jp disse...

Tudo isso faz parte do que somos- difícil muita vez perceber se é verdade ou fingimento.

O trabalho de actor é tb isso, como o de outros que inventam coisas, há que "trazer à mentira qualquer coisa de verdade"... E a cornucópia é do melhor que temos.

Isto de não comentar, não quer dizer que se não leia. abraço

via disse...

Que bom saber que estão vivos (JP há c'anos!!) e de boa saúde!! Já lá vou às vossas casas agradecer e ver o que andam a fazer...beijos a todos e obrigada por fazerem sentir a vossa presença!!

Apple disse...

Respondo ao chamamento! Sou visita da casa, mesmo quando não deixo migalhas no caminho :)

Fiquei com vontade de ir ver a peça.

Bjs

L.S. disse...

Talvez um blog, esse lugar onde se escreve para nós e para o outro, nunca "esteja" só...
A verdade? feliz de quem crê ter uma.
Ab.

via disse...

Apple e LS obrigada por responderem à interpelação, é um gosto. abraços

Rui disse...

sempre atrasado, (quase) sempre calado, sempre aqui

via disse...

Rui: obrigada pela presença!