terça-feira, 14 de agosto de 2012


"Lançou um olhar à sua figura no longo espelho; mas a imagem falhou, manteve-se inequivocamente familiar e usual.Ultimamente uma emoção particular acompanhava o momento de se olhar no espelho; subrepticiamente não era raro um estranho emergir: um novo eu.
Tinha acontecido duas ou três vezes, a primeira o Verão passado, no lânguido fim de uma tarde ardente; tinha vindo de um jardim saturado de silêncio, a casa estava às escuras; melancólico, solitário, inquieto -  chave de uma expectativa. Para quê? esperando- Por quem? A casa estava deserta."

Rosamond Lehmann, Invitation to the waltz, p.13


3 comentários:

cs disse...

Tão bem este texto. :)

sónia silva disse...

apontei para procurar mais coisas e ler.
obrigada.

um beijinho

via disse...

cs: o romance é muito bom.

sónia silva: beijo