sexta-feira, 1 de março de 2013

este blogue




Meco, Fevereiro 2013

este blogue anda parado. A escrita perdulária madrasta, ou filha pródiga,  ponto de encontro na multidão,  reticência, reticência, renitente, suspensão, demorava. levantei-me da cadeira e saí pela porta aberta, depois, mais tarde, voltei a sentar-me. o quarto frio, a gata aos pés. o acontecimento, no tempo, agora,  ecoa muito intimamente, avesso à exposição mediática, aos narcisismos da escrita. talvez tenha perdido a tua referência leitor anónimo,  já não sei bem para quem escrevo, de algum modo escreve-se para alguém, alguém longe ou impossível de ser tocado, senão assim, desta forma inclinada,  próxima, pendular.vou fumar mais um cigarro. duas impressões: Djuna Barnes reclusa no seu apartamento em Paris, muito tempo, (na escrita deverá haver desmesura para surgir o impacto): 20 anos sem sair - dados não confirmados - mas nela encontro a justificação para aceitar as minhas fases lunares, introspectivas. converso comigo e aquieto-me, não é anormal, penso, já a Djuna, 20 anos...em casa, sem sair...vejo a Djuna elegante com seu turbante de veludo e reconheço a mesma similaridade com alguns animais como as cobras adormecidas nos longos invernos de mudança de pele.talvez seja isso, mudo a pele, já o pressentira há algum tempo, um novo ciclo de vida, vem do corpo, aquela sensação de ventríloquo, alguém que te mexe e fala por ti, e não sabes qual deles és, se o boneco se o que fala por ele. Agora recuo ou avanço para coíncidir.  É de noite. Haverá para dizer a cor do céu, há pouco, nós, o país, mas a gata adormeceu, e estremece ligeiramente, acho que os gatos sonham.

9 comentários:

S disse...

Já cá vim 2 vezes sem saber muito bem o que dizer, ou melhor, sem saber muito bem como exprimir aquilo que senti ao ler este post.
Adorei a foto, entranha-se na pele... tal como o texto!

Anônimo disse...

20 anos sem sair de casa. A isso chama-se hikikomori.

Magnolia disse...

Sonham certamente...
E o texto é lindo

via disse...

S: Entranha-se o texto e entranha-se também a modorra doinverno que nunca mais acaba! obrigada!

Anónimo: a Djuna, não o sabia ainda, no tempo dela ainda os japoneses saíam e casa... ehehe

Magnólia: pois sonham ou têm pesadelos que é o mesmo. obrigada!

Antônio LaCarne disse...

palavras extremamente inspiradoras.

grande abraço do brasil.

via disse...

António: Pois bem vindo!!

cs disse...

gostei muito. Foi escrito para mim....

luis Eduardo Martins disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
luis Eduardo Martins disse...

Assoalho frio,lar aconchegante ao teu lado.Te convidaria enquanto a gata embriagada em seu sono para tomar um café.Encantado com os posts,com os textos, e principalmente com a senssibilidade.

Um jovem homem do MARANHÃO- BRASIL.