domingo, 22 de março de 2015

poesia: a máquina delirante da dedada cósmica

DEDILHANDO

se eu quisesse fazer poesia
era o serviço do meu dia a 21 seria
mas anoto a letra miúda
do calendário escolar
hoje não é dia de poetar

ao virar a página encontro
outros dias pequenos conto
em nenhum me poderia prestar
o ofício ou arte de poetar

se fosse mais tarde ou cedo talvez
no campo ou no mar em vez
de me ter esquecido a medo
pudesse despertar de novo o credo

mas terei de constatar
que apesar de disposição e do verbo
acabei por me atrasar
escrevinho um soneto cego?
não, hoje não é dia de poetar




2 comentários:

Ana P disse...

Todos os dias são dias de poetar

via disse...

Ana P, é verdade, mas aqui resolvi-me pela mentirinha que para alguns é facto.