segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

vórtice

deixa cá ver o que sobra dos dias, sublinhar, corrigir, pontuar.
e recomeça
sublinhar, corrigir, pontuar.

ir às compras, esperar nas filas.
sonho que nado resignada contra uma parede enorme de água, uma onda gigante, sei que vou morrer, a morte dá-se a ver nos sonhos, mas tenho alternativa, mergulhar talvez, qualquer coisa sabe a inevitável, mas nesse momento é só a parede enorme que se aproxima. o medo. e ficamos por aqui. não há nada depois do medo.

11 comentários:

ss disse...

esse é talvez o pesadelo mais horrível que se pode ter, toda essa água a formar uma onda...

JPD disse...

Mero exercício, via:

Se o mar, generoso, não se ti9vesse recolhido para Moisés passar...
O que teria acontecido?
Enfurecer-se-ia tal como ilustras?
Enfurecer-se-ia tal como ilustras porque, afinal, tanta sonho que acabou mal...
Etc, etc.

Bjs

JPD disse...

Pois, aí é que bate o ponto.

Não se tendo aberto o mar, a comunidade ter-se-ia confrontado com o primeiro handycap do Criador.
A menos que Ele, para impedir a chacina, deitasse por terra as pirâmides...
Não vejo alternativa.

Bjs

via disse...

ss: é mesmo, o pior dos pesadelos.

JPD: ao engolir os Egípcios Deus assegurou a continuidade da espécie (judaica) mas a chacina ocorreu, que interessa se foi um ou o outro povo? interessa que o mar é o mar, seja por Deus ou contra Deus.
bjo

Apple disse...

Depois do medo há a surpresa de o ter vencido, no mergulho redentor, que parece esmagar, mas que nos leva a emergir do outro lado da onda e a respirar, como se o ar a entrar nos pulmões nos queimasse, apenas nos mostrar que estamos vivos.

Rui disse...

o natal é uma prancha de surf

Sopro leve disse...

Viver é muito melhor do que sonhar...

R. disse...

'em sonhos, é sabido, não se morre' :)

talvez que esta externalização ajude a exorcizá-los ou, quem sabe, a formular alternativas que convertam o pesadelo em sonho.

Sublinho o abraço e pontuo este post com a classificação máxima.

gataparva disse...

E depois do medo vem alguma coisa. Força, talvez.

via disse...

Apple: puede ser, assim passar por baixo sustendo a respiração, tenho pouco fôlego, imagino que se ficar enrolada existirá um alçapão debaixo do mar.

Rui: Achas? Sorte a tua!!Não deixa de ser bonito!

Sopro leve: Também não sei, inclino-me pro sonhar, não tem tantos Tsunamis.Obrigada pela visita.

R:assim é doce, suave, uma porção de adrenalina para ajudar a suster a respiração.

gataparva: nõps, mais medo, talvez, mas a dar-se o caso seria fantástico.

jp disse...

É doce morrer no mar,dizem.