quarta-feira, 19 de maio de 2010

a meu favor


há um poema do Alexandre O'Neill ,chama-se "A meu favor" e começa com a frase

a meu favor tenho o verde secreto dos teus olhos

algumas palavras de ódio algumas palavras de amor

o tapete que vai partir para o infinito


apetece-me transfigurá-lo, amassá-lo no verde azul do coração e dizer

a meu favor o azul límpido dos olhos
algumas frases em italiano
as preces que não ouviram
os teus dentes brandos
e se me permites
antes de acabar
o desejo bruto de te agarrar
A meu favor a harpa
o jornal amarrotado na mesa
a fuga melancólica para a festa
o riso
e se me permitem
antes de acabar
onde lêem tu devem ler lugar

6 comentários:

CCF disse...

Que bonito!
~CC~

Magnolia disse...

... E ficou muito bem
Bj

R. disse...

Belíssima inspiração (adoro o O'Neill) e belíssima produção. A teu favor, textos assim, sensibilidade condizente e criatividade recorrente (até rimou!) Abraço :)

via disse...

CCF e Magnólia: Ainda bem que gostaram, brigada!

R:Também, em relação ao O'Neill, tem tudo a seu favor, tudo mesmo, vejo que também tens umas coisitas largas a teu favor, rimas naturalmente e com alguma graça.abraço

R. disse...

Muito obrigada :) Abraço também.

JPD disse...

Eu gostei!

(Sem abusar da tolerância de AO)

Acho que ele também teria gostado.

Haverá algum poeta que desdenhe as reacções dos seus fiéis leitores?

Eu se tivesse o mérito de AO, não desdenharia.

Bjs