segunda-feira, 1 de novembro de 2010

abertas

Dia de pão, por Deus. Esta expressão quereria dizer: dai de comer, hoje, a quem tem fome. Fazei-o por Deus. Não o façais por teus irmãos, nem perguntes qual o desígnio, esse, o desígnio, só a Deus pertence, fazei-o simplesmente.
Começaram às 10h a tocar à campainha. São daqui, crianças do bairro, alguns traziam um saco de pano e abriam-no à minha frente, e, ali no hall de entrada do prédio moderno, onde as luzes acendem com a presença dos corpos mesmo de dia, ouvi o tilintar das moedas pretas e o muito obrigada nos sorrisos e senti que era bom começar o dia assim, dando a quem pede.
Fotografia de Cristina Garcia Romero

4 comentários:

R. disse...

...dando a quem pede e perpetua o bem precioso das tradições e da generosidade. Bem hajas por 'alimentá-las' também.

JPD disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
JPD disse...

Sim, a generosidade é indiscutível.

Porém, não deixo de comparar a nossa tradição com a do Halloween:
«Susto ou Prenda!»

Esta manhã ouvi uma criança questionar a mãe:
«Pão por breus,mãe?»
«Não, filho. Pão por Deus!»

Bjs

via disse...

R: esta é uma tradição que não se gasta.Obrigada.

JPD:eheehe, acho que a expressão não faz qualquer sentido para uma criança, mas tem graça,muita.Bjos