quarta-feira, 10 de novembro de 2010

titi

Sempre que estou com as minhas sobrinhas dissipo as ondas de nevoeiro cerrado com que a sua ausência me brinda, nada tem de bom a ausência quando nos afasta dos mais queridos. criamos mil fantasmas, mil medos e saudades. esta semana finalmente, conheci o namorado, o primeiro, e gostei. gostei dos seus dentes brancos e da tez corada, ainda me incomodou o abraço, mas rapidamente pus a mente ao largo, ela ama-o, espero que não sofra e se sofrer não demasiado, porque amores de adolescência não são para durar. acalmei, era a mesma, só feliz. depois a mais nova, segui-a no hambúrguer e ri-me durante todo o almoço, tem sentido de humor, irreverência, e sobretudo carácter, não sabe bem o que quer mas percebe perfeitamente onde se esconde o que deve evitar e depois não atira palavras a eito (não sai à tia definitivamente) não, diz o que pensa, mesmo se não vai ao encontro das expectativas dos outros, e percebi que não há medos, está lá o que sempre esteve, autenticidade, foi bom, eu já nem sei o que andava a imaginar...


Imagem daqui: http://troll-urbano.weblog.com.pt/arquivo/adolescencia.jpg

7 comentários:

ss disse...

ai como eu te entendo...
até no medo que elas sofram, e se tiver que ser que não seja em demasia. é mesmo coisas de tia.
:)

CCF disse...

Como te compreendo :)
~CC~

R. disse...

Isso de 'dizer o que pensa, mesmo se não vai ao encontro das expectativas dos outros' soa-me familiar, porque o encontro, e aprecio muito, por aqui. Tens a certeza que não é genético? ;)

joana padrel disse...

Titi babada. E são lindas as meninas...Não há tia que não gostasse de lhes poupar os sofrimentos...Mas eles (os sobrinhos e sobrinhas) julgarão - se for por uma boa causa, toca a sofrer e a crescer!

via disse...

ss: pois são, que queres,são preocupações e redenções e mais nada.

CCF: presumo que sejas titi, pois ainda bem, sabes como é...

R: tens razão, também sou assim, é vero, mas ela é mais contida nas palavras.e não, não tenho a certeza de nada, não, minto, tenho a certeza que te estou aqui a escrever.

Joana padrel:é verdade, sofrer para crescer, não há como evitar e, olha, sofremos todos e às vezes por isso só mirramos.mas não há-de ser nada, Deus é grande!!

JPD disse...

O que relatas é muito sentido e muito agradável.
Desejamos sempre intensamente o melhor para os nossos.
O relacionamento é tantas vezes difícil e penoiso.
Qualquer esforço para que tudo corra a preceito sem mágoas, vale a pena.
Bjs

via disse...

JPD:é como dizes, os nossos os que amamos, aparecem-nos com uma fragilidade dolorosa, não podemos mas não desistimos de tentar proteger.bjo