segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Sobre Livros

Os livros são objectos manuseáveis, de peso adequado à medida dos pulsos, de formato adequado à medida das mãos. O que se diz dos livros está geralmente errado, guardamo-nos virgens, para virar as folhas e humedecer a ponta dos dedos, e aí também nada a dizer, fazemo-lo no mais circunspecto silêncio, no mais delicioso veneno, será assim como acender a luz de cabeceira numa madrugada de nevoeiro na serra e sabermos da insónia pelo eco da história que mal nos tocou e aguarda o nosso madrugar para abrir janelas sobre o vale, assim é, nem somos nós mas outros, ou nós outros enquanto a linha que cobre as palavras se desgoverna da órbita para nos desassossegar. se os livros fizessem amor seria para nunca esquecer.


Imagem da exposição de Alexandra Mesquita na Babel, rua da Misericórdia, Lx

5 comentários:

Magnolia disse...

Seria mesmo............
Alguns seria mesmo....

JPD disse...

Boa noite, Via

Considero este texto excelente.
Permito-me acrescentar o seguinte.

Na tradição oral ainda hoje há um manancial de saberes que a memória colectiva se esforça em preservar.
Foi, indiscutivelmente com Gutemberg que as possibilidades de conservação e transmissão de cultura ganharam um fôlego extraordinário.
As leituras para grupos serão uma réstia de oralidade e facultam diálogo; a possibilidade de isolamento para ler e reler e voltar tantas vezes quantas as desejadas atrás, é um potencial do suporte «Livro»

Bjs

R. disse...

O poder dos livros dava, em si mesmo, matéria para um ou muitos livros. Quer no plano intelectual, quer afectivo, quer mesmo relacional, os livros representam uma fonte inesgotável de potenciais efeitos. Lembro-me que, quando andava no liceu, tinha uma amiga com quem partilhava os livros que lia. Passávamos os intervalos de dias consecutivos de aulas a ouvir, ou a contar, sobre um livro que estivéssemos a ler. Foi assim que conheci detalhadamente o famoso conjunto d'"As Brumas de Avalon", sem nunca ter lido nenhum dos livros.

Bons tempos e bons livros também :)

Um abraço.

via disse...

magnolia: estou em crer que sim.

JPD: obrigada.com esse suporte as possibilidades são imensas.

R: As brumas, houve uma altura em que eram um entusiasmo, confesso que nunca as li, mas tenho pena, quem sabe ainda venha a ler.

ss disse...

Hoje sentei-me a apanhar uma réstia de sol que teimava em aparecer com um livro no colo.
O resultado, foi quase queimar o almoço, que ficou esquecido no fogão.
:))