sábado, 8 de outubro de 2011

fase de negação

peço desculpa à meia dúzia de fiéis leitores deste blogue mas tenho a declarar uma heresia: contra a religião actual, eu não acredito no "deus gola alta da Apple" e, tenho também a declarar, que não contribuiu um milímetro para mudar a minha vida. Deve ter contribuído para a humanidade inteira ficar fascinada com o ilusionismo de criar necessidades em bagatelas. tablete a mais ou a menos mas se querem saber, os louros são para os cientistas que permitiram a computação, equacionaram as leis dos quantas, e, sim, esses permitiram o futuro. Admira-me que um milionário vendedor de produtos seja o grande visionário do século. uma espécie de cristo- vendedor informático. a Apple factura bem com este herpes colectivo.

Deixo-vos com Ana Mendieta, uma rebeldia com duas pernas grossas,vasos sanguíneos, ervas e corpos em revolta. justamente.

6 comentários:

João Raposo disse...

Haja alguém com lucidez!

Hlebre disse...

Justamente...
Ainda assim visionário: motivações secundárias, pois! Por isso, possibilitantes do que estou a fazer, agora!!! Convém não desvalorizar para não sermos todos apanhados na curva...
Digamos, com Pessoa: "Merda, sou lúcido!!! Tão lúcidos que sabemos que não conseguimos escapar... e calo-me!!!

cs disse...

escrevi sobre aqui
http://5sentidos-cs.blogspot.com/2011/10/iopiniao.html

cs disse...

deixo-lhe aqui um post interessante sobre o assunto com informações que são uma autêntica novidade para mim

http://atravesdeluniberto.blogspot.com/2011/10/apple-la-manzana-de-la-revolucion.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+atravesdeluniberto+%28A+TRAV%C3%89S+DEL+UNIBERTO%29

R. disse...

Não há dúvida que o seguidismo é vulnerabilidade dos humanos. E quando alguém lhe descobre a fórmula, o resultado pode ser a abastança. O mesmo se passa em relação à comoção. Rapidamente se torna colectiva e contagia até aqueles que não eram particularmente ligados a uma causa. Há, contudo, quem resista. Como se nota :)

Um abraço.

via disse...

joão raposo: ora bem...apesar de nem sempre conseguir manter a minha...faz-se o que se pode...

Hlebre: faz-me lembrar uma frase de Sócrates na "Apologia" "obrigar-vos a pensar que dais o ´maior valor ao que o tem menos e menos ao que tem mais" coloquemos os louros na cabeça de quem os merece e não andemos com panaceias.

cs:li, sim senhor, obrigada

R: sempre certeira, pois é isso, exactamente, exactamente.