terça-feira, 17 de fevereiro de 2009


hoje na biblioteca atendeu-me uma nova funcionária, tinha um ar carrancudo, as mãos papudas e as unhas grandes, até aí tudo bem, são muitas as funcionárias de biblioteca de ar carrancudo e unhas grandes, o modo como pegou nos livros entre o cotovelo e o peito, alertou-me para a deficiência, o braço esquerdo estava imobilizado, quando se levantou com muito custo o seu corpo abanou, melhor, oscilou de tal modo que pensei que ia cair, mas contra toda a evidência equilibrou-se e aos livros debaixo do braço, depois de uma série de equilíbrios in extremis motivados pela sua paralesia parcial das pernas, lá conseguiu desmagnetizar os elementos e entregá-los escrevendo com a direita no computador. Fiquei muito tempo à espera mas não me importei nada, ali estava um exemplo bom, uma coisa bonita de se ver. Respirei melhor, gosto muito de bibliotecas, cresci a olhar para livros, a sentar-me naquelas mesas a cheirar a cera e a deixar-me vaguear naquele silêncio. As bibliotecas hoje são mais luminosas e menos bafientas mas continuam a ter aquela suspensão do tempo que me é cara. Os óculos grossos da funcionária lembraram-me que o prazer de ler nos ensinou, possivelmente às duas, a ser tolerantes e a tratar com infinito respeito esses objectos que o tempo todo do mundo depositou ao nosso colo para com eles retomarmos um diálogo infinito, titubeante, às vezes ensurdecedor, sempre compensador.

4 comentários:

comsentido disse...

adoro o cheiro distinto de cada biblioteca. as funcionárias... com o devido respeito, são por vezes caricaturas de interessante observação. até

Cassandra disse...

Belas descrições. Parabéns. Delicio-me com as imagens que constróis:).

Ana Paula disse...

Adoro bibliotecas! E adoro, quase venero, os livros!

Fiquei mesmo contente por ler o que escreveste: "a suspensão do tempo..." que nas bibliotecas podemos encontrar. É magnífica essa atmosfera e das poucas coisas que me dá uma estranha sensação de conforto e energia, ao mesmo tempo.

Infelizmente, não vou tanto quanto gostaria :(

Desejo-te uns bons dias de Carnaval!

via disse...

comsentido: esta era, sem dúvida, de interessante observação!

cassandra: essa tua veia analítica decompõe-me a escrita, hei-de treinar, prometo!

ana paula: conforto e energia, suspensão do tempo, já tenho saudades de lá ir, de voltar! O desejo é retribuído na íntegra! boas férias!