domingo, 21 de março de 2010

Ara Guler: o fotógrafo



as imagens são de Istambul nos anos 50, o momento único, insubstituível, a vida mínima ao milionésimo de segundo do click.aquele som, o tumulto, ou a história, o movimento onde se segue o passado e adivinha o futuro e a cidade, a gente e a pedra, a água perdida na sombra, o pó do sapato. o que ali, justamente, se passou, inscrito na mancha e na linha que impressiona o papel.
se há momentos de revelação, este foi um deles.

5 comentários:

R. disse...

Imagens belíssimas e a magia do "click" que capta e eterniza um momento irrepetível. A melhor e mais bela forma de capturar o tempo.

JPD disse...

Olá Via

Mais do que uma vez me foi dito que se desejasse visitar a Grécia Antiga, deveria ir à Turquia.

Sei pouquíssimo de
Bizâncio
Constantinopla
Istambul

Deveria saber mais dos Impérios

Romano
Bizantino
Otomano

República Turca.

Quando penso viajar penso na Europa; só depois no resto do Mundo.
Porque será?

Do que li de Orhan Pamuk, gostei.

Bjs

Rui disse...

istambul eu 2010? capital europeia da cultura tudo mais caro. istambul eu 2010?

ss disse...

Tenho de ir ver esta exposição para rever tão bela cidade.

via disse...

R:Olá, trata-se de de roubar a beleza ao tempo, de a fixar ainda em toda a sua surpresa.
disseste click e primeiramente escrevi assim no texto mas depois resolvi "aportuguesar" e substitui por clic mas tens razão será melhor manter a forma original, embora clic seja mais genuíno, visto que corresponde a um som (onomatopeia)deveria ser diferentemente escrito de acordo com as regras de expressão de cada língua.

JPD: esta cidade conta um pouco da história do mediterrâneo, os choques e depois as misturas. também é europa, uma parte, outra ásia. do pamuk li o istambul mas sem grande entusiasmo. saudações turcas

rui: ai é? ainda bem que fui lá antes, a cidade é mais barata aqui que o burgo.

ss:sim, vale a pena, para quem gosta da cidade mas, sobretudo para quem gosta de fotografia, depois me dizes.