domingo, 28 de março de 2010

dia de teatro











dia 27 é dia de teatro. desde o princípio que soube celebrar o Teatro, faço-o porque me sinto traidora, infame, cínica, e nada como a má consciência para nos mover ao altruísmo. este ano fui ver Ivanov ao Maria Matos, o ano passado levava peça a cena, peça ainda inacabada como quase tudo o que faço, alinhavo, mesmo assim cumpria o repto, sacudia a culpa de não me esforçar para dar melhor voz ao chamamento. há quem seja chamado a Deus, eu fui chamada para o Teatro e nem gosto especialmente dele, é uma relação familiar, uma coisa de não escolher , de ser assim , nem é uma fatalidade, mas surpreende-me, só isso.


voltando à peça, frases dos actores largadas ao improviso arrepiaram-me, não foi Tchékov certamente que escreveu " só cá faltava mais este!" e outras barbaridades surgidas ao acaso, para ser divertido. sacrifique-se o texto, a bem do espectáculo,até se podia aceitar se fosse um texto qualquer, mas Tchékov não é "um qualquer", meter buxas a heito para simplificar a modorra das frases parece-me desleal. (resta saber se a lealdade tem alguma coisa a ver com arte, até nem tem) mas corta a melodia do texto, conspurca-o. (nem sei como dizer isto porque sinto-o mas depois dito soa a moralismo de pacotilha) Mas este Ivanov tem o mérito de nos confundir, ficamos a remoer: espera, isto é tragédia ou comédia? ora essa dúvida coloca o dedo na ferida, de facto Tchékov faz a tragédia parecer ridícula, uma tragédia ridícula num mundo ridículo onde o amor tem o mesmo valor de uma pescaria ao sável.
Imagem do Grupo "A TRUTA" e Tchékov

4 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Tive pena de não poder celebrar o Teatro mas estava envolvida num congresso local não político...
Contudo nestas andanças aparecem sempre "artistas"! :-))

Abraço

R. disse...

Via, as reflexões que aqui fazes parecem-me bem ilustrativas do que terá dito Kenneth Haigh:
"You need three things in the theatre - the play, the actors and the audience, and each must give something". Portanto, atrevo-me a dizer, que este poderá ser o (ou um dos) teu(s) contributo(s) ;)

JPD disse...

Olá

Uma vez que falas de Tchecov, se estiveres com tempo -- Arrisco que sentir-te-ás recompensada -- lê, escrito por José Sasportes «OS DIAS CONTADOS» (Edição Dom Quixote)

Bjs

via disse...

Rosa dos ventos: bem-vinda a este espaço!abraço

R:Olá R ( será Rita? Rosa? Renata? Rosalia? Deve haver mais nomes começados por R mas não me lembro de mais nenhum...)dizes bem, o teatro é uma espécie de cruzamento onde desembocam ruas, estradas,atalhos e avenidas.

JPD: não li, mas a fixar.bjo