sábado, 10 de abril de 2010

Millennium

Noomi Rapace é "A rapariga que sonhava com uma lata de gasolina e um fósforo." a hacker com um dragão de fogo tatuado nas costas, Lisbeth Salander personagem central de uma trilogia policial sueca escrita por Stieg Larsson.O cinema sueco não deixou o crédito das boas histórias para os americanos (o Fincher vai fazer uma remake, a ver vamos) mas não há dúvida que pulveriza as americanices de efeitos especiais e visão maniqueísta da realidade. Há aqui um material verdadeiramente moderno, nos modos de vida, e trágico, velhissimamente trágico, edipiano, lembramo-nos das velhas tragédias de Tebas em Estocolmo. Movemo-nos com ela em alta velocidade à beira dos limites, num misto de medo e coragem, todos (sobretudo, nós mulheres) gostaríamos de ter aquela determinação, a sua credibilidade vem da interpretação fabulosa da actriz e do argumento que nos faz questionar o bem, o mal e o poder de os separar.

10 comentários:

R. disse...

Ainda não vi, mas já soube de muito boas críticas. E se por um lado a separação do bem e do mal é por vezes falaciosa, por outro, há males (como o tráfico de mulheres que aí também se aborda) que não dão lugar a dúvidas. Um argumento estimulante, sem dúvida.

via disse...

R: vale a pena ver, não sei está aí no Porto, aqui está quase a sair de cartaz, é um filme, como dizes, estimulante.

CCF disse...

Só li o primeiro, por uma absurda falta de tempo que me persegue, mas espero voltar ao II e ao III, porque o primeiro adorei. Tenho sempre dúvidas de ver um filme depois de ler o livro, mas a descrição feita é muito apelativa.
~CC~

R. disse...

Assim farei, Via. Se não for no cinema, há-de ser em DVD :) Já está na lista dos "a não perder".
Boa semana (com este sol maravilhoso e quentinho)!

JPD disse...

Já li os dois primeiros volumes da trilogia e mal me contenho relativamente ao terceiro.

Está aqui numa das prateleiras numa fila de espera esmagada pela ansiedade.

Adiei porque a prioridade apontava para o «2666» QUALQUER COISA DE EXTRAORDINÁRIO!»

Imaginei a Lisbeth tão bonita quanto a Noomy mas mais esquálida.

A Noomi está muito bem escolhida para protagonizar o papel, para já, pela simples razão do apelido «Rapace»

Bjs

via disse...

CCF: é mesmo para devorar, e é preciso tempo, porque quando se começa não se consegue parar.Os filmes não desmerecem, recomenda-se sobretudo graças à senhora da foto.

R: agora penso que só te resta o DVD, mas não sei se já está à venda, ainda não vi.depois me dizes.

JPD: esse 2666 parece qualquer coisa de dia da besta, aquelas pancadas com apocalipses, a opção foi claramente errada na minha modesta opinião, o terceiro é o melhor.bjo

Rui disse...

O segundo soube-me a pouco. O filme. escapa-se por ali alguma coisa que existia no primeiro.

via disse...

Rui: Também gostei mais do primeiro.

Martini disse...

Olá manhã :)
Li o primeiro livro há pouco tempo, é estimulante. Quanto ao filme ainda não o vi!

PS: Aqui estou, está tudo bem?

via disse...

Oi Martini!! Como vais!! Há quanto tempo!!espero que dês um pouco de movimento a Marte que anda desolado de esquecido! bjos