quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

equinócio


Há também um equinócio na vida, um ponto de equilíbrio , um entre, sair e entrar, instante fugaz em que nos movemos pouco e vemos passar o filme do antes e do depois. tenho a sensação que é esse o momento, um agora cheio de fagulhas. Ontem alguém me dizia que o desejo é da natureza, é-nos dado, o resto compete-nos construir. E se não houver resto? se tiver falhado no resto?

assomo à janela do resto que sou. vejo que não tenho de ser feliz, não é forçoso...um arabesco ergue-se no saguão.

3 comentários:

Ana Paula disse...

Concordo com o equinócio :)

E como senti essa constatação: não é forçoso ser feliz. Não é mesmo.

Um beijinho

as velas ardem ate ao fim disse...

Obrigada pela visita.

Tb eu sou bipolar...talvez por isso seja tudo taõ comum.

Os bipolares tem sempre um fio condutor.Realmente entre nós à spre muito em comum.

um bjo

via disse...

ana paula; ora aí está, se não é forçoso que se alivie a carga! bjo

as velas ardem até ao fim: pois que o fio condutor te conduziu aquui, não me parece mau fio...