terça-feira, 3 de março de 2009

A Festa na casa dos barcos, ou festa no clube de vela, os títulos deste quadro de Renoir não detêm a unanimidade, belo, a unanimidade congela e retrai nenhuma dessas sensações pode nascer ao olhar. O que me atrai neste quadro é esta atmosfera de lazer, esta descontracção e absorção no que é pueril e leve, os momentos, o presente irrepetível e espontâneo, o gesto que nenhum significado traduz só aquela tarde e a luz que dela emana sobre o corpo. Talvez precise de férias ou de me deixar banhar também nesta luz. Entrar na casa dos barcos, beber um vinho, acariciar um gato, colocar um chapéu de palha, ou deixar crescer barba e bigode. Não, melhor,um ramalhete de papoulas no cabelo.

3 comentários:

comsentido disse...

gosto deste quadro. boa escolha em tempos tão stressados. haja algo que nos dê paz. até.

Ana Paula disse...

Também gosto. Também preciso de férias :) Estar assim... consegui-lo, que maravilha!

via disse...

comsentido: mais uma pausa, uma trégua...

ana paula: está quase, não desesperes...