domingo, 8 de março de 2009

Uno aprende que lo imprescindible


no eran los libros


no eram los discos


no eram los gatos


no eran los paraísos en flor


derramándose en las aceras


ni siquiera la luna grande -blanca -


en las ventanas


no era el mar arribando


su rumia rompedora en el malecón


ni los amigos que ya no se ven


ni las calles de la infancia


ni aquel bar donde hacíamos el amor con la mirada.




Lo imprescindible era otra cosa.




Cristina Peri Rossi, Estado de Exilio

4 comentários:

comsentido disse...

bonito poema! boa escolha. até

as velas ardem ate ao fim disse...

un fiore sarà sempre un fiore!

bacio

via disse...

comsentido: esta autora me gusta!

as velas ardem até ao fim:pois, uma flor para ti!

um Ar de disse...

O imprescindível?
Pois...
parece ser de outra "ordem", que não a das coisas.
Será?
.
[Beijo...@]